15.3.10

Quem será o sexo frágil?

Homens e mulheres. Há quem diga que são completamente diferentes, outros que dizem quem nem tão diferentes assim, mas uma coisa é certa: desde que nascemos já colocam nas nossas cabeças um padrão, do jeito que devem ser as mulheres e os homens.
Até então mulheres eram delicadas, românticas, quando pequenas adoravam brincar de bonecas e panelinhas, já adultas gostavam de jogar conversa fora, fofocar, falar de novela e cuidar da casa e dos filhos.
Homens eram insensíveis, másculos, quando moleques gostavam de correr, brincar de carrinho e como todo bom brasileiro, jogar uma bolinha. Uns levavam essa paixão pelo futebol para a fase adulta e faziam dele sua profissão.
Foi ai que surgiu um grupo de mulheres que começaram a se aventurar pelo mundo da bolinha (espaço antes restrito aos homens), invadiram os escritórios e as firmas e entraram com tudo no mundo da política. Assim como surgiram homens que passaram a ser mais sensíveis e delicados, a cuidar mais da beleza (coisa que antes só elas faziam) e veja só: hoje o homen pode até chorar!
É, se eu contasse isso pra alguém que viveu na primeira metade do século passado, iam achar um absurdo, que eu estava ficando louca! "Homen não chora", era o que logo iam dizer. Mas assim como os homens agora podem demonstrar seus sentimentos, as mulheres podem agora trabalhar e criar seus filhos sozinhas e se saem muito bem nisso. É como ja dizia sabiamente Erasmo Carlos: "dizem que a mulher é o sexo frágil, mas que mentira absurda..."