11.3.10

O preconceito nosso de cada dia.

Quem nunca ouviu alguem falar ou até mesmo já falou coisas do tipo: "toda loira é burra", "homem nenhum presta!", "político é tudo ladrão"? É, coisas desse tipo são "normais" de se escutar por ai, temos mania de generalizar as coisas e mesmo sem nos dar conta todos os dias cometemos algum tipo de preconceito.
Quando se fala em preconceito as pessoas logo associam à preconceito racial, preconceito contra a mulher, preconceito contra homossexuais ou coisas do tipo, porém preconceito é qualquer tipo de opinião sem conhecimento. Julgamos as pessoas pelo modo como se vestem, pelo modo como andam, pelas roupas que usam e por ai vai.
Diversas vezes não levamos em conta as particularidades de cada indivíduo, temos o hábito de taxar grupos, como se todo mundo que pertencesse àquele grupo fosse do mesmo jeito e fizesse as mesmas coisas. Achamos que porque um faz todos devem fazer a mesma coisa. Por exemplo é comum dizer que todo paraense gosta de açai, que todo baiano é prequiçoso, que todo homossexual é promíscuo, que todo tatuado é vagabundo, que skatistas não tem o que fazer dentre outras coisas.
Sentimos uma necessidade de ser superior ao outro, achamos que criticando vamos ser superiores que nós é que estamos certos e outros estão errados, que nós somos o exemplo a ser seguido, os donos da verdade.
Mas a verdade não é, ela torna-se, o que é certo para mim pode ser errado para outra pessoa. Devemos saber conviver com as diferenças, aceitar e respeitar as pessoas do modo que elas são, afinal inteligência não depende de cor de cabelo, ser preguiço independe do Estado em que você mora, ser promíscuo não tem nada a ver com orientação sexual e tatuagens, piercings e coisas do tipo não alteram caráter. Não adianta protestarmos contra o racismo, a homofobia e etc e não ficarmos atentos para nossas atitudes diárias que ajudam a aumentar o preconceito nosso de cada dia.