13.7.10

Respeito à diversidade: uma questão de ética

Basta uma rápida olhada ao redor, para percebermos que nós seres humanos, somos muito diferentes. Diferimos na altura, na cor dos cabelos e dos olhos, na cor da pele, no modo como nos vestimos dentre outras características físicas. Também somos psicologicamente diferentes, nunca pensamos e agimos de maneira igual. Todas essas diferenças nos levam a nos organizarmos em sociedade de maneiras distintas.
Ao longo da história diversas culturas criaram seus próprios modos de viver e de entender o mundo e em lugares como o Brasil houve uma intensa aculturação, gerando assim a pluralidade cultural em nosso território.
No entanto isso não aconteceu de forma pacífica. O negro, por exemplo, ao longo de três séculos foi tratado feito um animal, o índio que de início também foi escravizado, foi destruído física e culturalmente pelos portugueses. Quando uma cultura se acha superior a outra e tenta dominá-la, as diferenças acabam se transformando em desigualdades.
Essas desigualdades comprometem a plena existência da pluralidade cultural, pois se alguns grupos de uma sociedade se beneficiam e outros não, é sinal que esses outros possam estar sendo reprimidos ou até eliminados. Isso nos leva a pensar que a real afirmação da pluralidade cultural, está intimamente ligada à luta pela extensão dos direitos humanos a todos.
Saber respeitar as diferenças é antes de mais nada, uma questão de ética e respeito à pessoa humana. Devemos entender as diferenças como algo positivo, pois pode nos enriquecer como pessoas, ao nos ensinar diferentes maneiras de ver o mundo. Conviver pacificamente com culturas e grupos diferentes dos nossos é o melhor caminho para conseguirmos uma cultura de paz.

2 comentários:

Ila Gabriela disse...

Concordo....
As diferenças não devem ser aceitas ou não e sim respeitadas além de td e de todos (y)

Amanda disse...

é isso ai :D