19.9.11

[Texto de segunda] O meu amor

Quero encontrar-te em uma noite de luar. E tudo será tão estranho que vais demorar um pouco a entender. Eu te reconhecerei logo de cara e vou puxar conversa contigo, não que eu seja uma mulher de atitude, pois estou longe de ser, mas é que não posso desperdiçar essa chance, ela pode ser única.
Conversaremos a noite toda como se o sol não fosse aparecer, e quando ele vier zombar de nós ficaremos tristes e trocaremos telefone, com a promessa de ligarmos um para o outro. Mesmo que eu esteja morrendo de vontade de ligar, não ligarei. É bom fazer um charme. Mas não desgrudarei do telefone e quando ele finalmente tocar darei pulos de alegria.
E vamos nos encontrar e finalmente vai rolar nosso primeiro beijo. Será algo tão mágico e transcendental que não conseguirei explicar. Em menos de uma semana estaremos namorando e pela primeira vez apresentarei um namorado a meus pais. É querido, o amor tem pressa.
O "eu te amo", demorarei três meses para dizer-te, talvez por ser o mais verdadeiro de todos os que eu disse a outros garotos, seja tão difícil falar. E tu, convencido do jeito que és, vais dizer: "eu já sabia". E vamos ficar abraçados até que a noite venha tirar-te de mim.
E tu me aceitarás exatamente do jeito que sou: chata, estressada, teimosa, brincalhona, tímida... e eu te aceitarei assim: exibido, inteligente, seguro de si, encantador... não terás ciúmes dos meus amigos (quase todos homens) e eu me darei super bem com tuas amigas.
Mas nem sempre será primavera e outono virá nos atrapalhar, teremos nossas brigas, mas 5 minutos depois estaremos bem. Xingaremos, gritaremos e diremos que nunca mais queremos nos ver, porém 10 minutos depois estaremos chorando um nos braços do outro reconhecendo o quanto fomos idiotas.
E seremos perfeitos um para o outro. E brigaremos mais vezes, nos entenderemos mais vezes, choraremos mais vezes. Vou compor e cantar uma música para ti e tu, todo bobo, pegarás meu violão e tentarás fazer igual. Como não consegues, apenas usarás as palavras, tão tuas amigas, de um modo que só tu sabes.
Vais me ligar de madrugada só para dizer que me amas, eu vou rir e dizer: "idem". Vamos viajar para uma ilha paradisíaca e ficar lá sozinhos o dia inteiro, mesmo que seja só no pensamento. Farás uma serenata para mim, mesmo sabendo que eu não gosto porque morro de vergonha, mas eu vou amar porque foste tu que fizeste.
Vez ou outra te desentenderás com meu pai, dois ciumentos, mas no fim acharão um modo de dividir-me. Vou te ajudar com os estudos e tu também me ajudarás, afinal és um "nerd" perfeito. Vais querer saber mais do que eu, e como sou um tanto competitiva, não deixarei barato.
E por fim, prometeremos casar, vamos escolher o nome dos nossos filhos e dizer que vamos à Argentina, para desespero de minha mãe. Juraremos amor eterno, viveremos na nossa ilha de felicidade e tudo será simples assim. Agora, só falta tu existires.
--------
Esse texto é meu e alguns até já leram aqui. Postei novamente porque eu gosto muito dele é um dos meus preferidos.

Beijo e até a próxima